Histórias Birutas e Batutas - Lucas do Rio Verde



LUCAS DO RIO VERDE – 09 à 11/04/2010

Continuando a história...

Nesta semana pegamos as malas e partimos rumo a mais uma cidade do interior de Mato Grosso. Lucas do Rio Verde é indiscutivelmente um lugar que sentimos vontade de morar. Fomos muito bem recebidos pela produtora e diretora teatral, Sônia e a Coordenadora de Cultura Luciana Bauer, que estava em processo de preparação para a “Semana do Livro” (evento realizado por meio do Departamento de Cultura em comemoração ao Dia Nacional do Livro Infantil, tendo como tema “O dia em que a história virou do avesso”). Em meio a tantas tarefas, Luciana ainda encontrou tempo para divulgar o nosso Projeto “Contos do Mato”, e com profissionalismo articulou a presença de toda a impressa local, e o resultado não poderia ser melhor, o público compareceu e tivemos casa cheia nos dois dias de apresentação.

A oficina “Como Contar e Encantar com Histórias”, realizada na sexta-feira, mas uma vez ultrapassou o número de vagas, bom sinal. O resultado foi bem satisfatório, com muitas atividades e discussões pertinentes sobre a arte de contar histórias e seus benefícios no campo educacional e artístico.

No sábado e domingo seguimos para a Câmara Municipal, local disponibilizado para as apresentações do espetáculo “Histórias Birutas e Batutas”. Ao raiar do sol toda a equipe do projeto iniciou os trabalhos (carregando caixas, pendurando adereços, emendando fios, testando o som e ouvindo música para embalar o ritmo do trabalho).

Pronto...pausa para o almoço e depois de volta para finalização dos detalhes....mais tarde, faltando poucas horas para a apresentação, iniciei o meu “ritual” de preparação, concentração e muita expectativa.....com direito a mão gelada e batimento cardíaco acelerado. Enfim, as histórias estavam prontas para saltar da boca e adentrar nos ouvidos e fixar-se na memória de cada ouvinte.

Ao ver a enorme fila de pessoas se formando do lado de fora do auditório, senti aquele “friozinho na barriga”, mas nada grave foi apenas um aviso de que seria sucesso total de um trabalho realizado em equipe. Nesse momento tenho que agradecer primeiramente a nossa produtora executiva Mazé Oliveira, que com maestria, administra com excelência o perfeito andamento desse projeto.

A oficina e as apresentações foram surpreendentes. Para mim, ficou uma lição muito viva: como era possível, um espetáculo, depois de anos em cartaz, manter um frescor e uma vivacidade de como se estivesse sendo apresentado pela primeira vez? Será que foi a receptividade e participação de um público de quase 400 pessoas, por sessão? Será que as histórias são mágicas? Ou será que foi apenas o frio do ar condicionado? Rrsrssrsrsrsrs... Só sei que o frio na barriga continua a cada vez que o espetáculo começa, e depois termina com a sensação de ter contribuído, de alguma forma, com momentos de alegria, de reflexão e diversão para todos os ouvintes. Posso resumir este momento em uma palavra: FELICIDADE.

Na manhã de domingo, para fechar com chave de ouro, conhecemos o Parque da cidade, com direito a passeio sobre as trilhas, sessões de fotos sobre a ponte, contemplação do lago, que tinha em sua superfície uma réplica do “minhocão” (personagem das lendas mato-grossenses) e até momentos de contemplação de peixinhos. Um paraíso....

Alicce Oliveira

Um comentário:

Maicon Rodrigo disse...

E uma prazer para os luverdenses, receber a visitas de espetaculos culturais e principalmente saber que tanto o publico e os artistas se sentiram a vontade de apresentar e tambem adoraram a cidade.

Muito obrigado pelos elogios e grande abraço o espetaculo foi maravilhoso